Governança

Governança

Com a governança participativa, mobilizamos poder público, iniciativa privada e sociedade civil para promover o desenvolvimento territorial sustentável

Em nosso ambiente corporativo, a governança compreende o sistema de gestão, inclusive comunicação e processos, por meio do qual somos dirigidos e monitorados. Isso envolve nosso relacionamento com Conselho de Curadores, superintendência e órgãos de fiscalização e controle. Aborda ainda o sistema de interação com nossas instituições parceiras, norteado pelo princípio da governança participativa.

Promovemos as melhores práticas em governança com base em seis pilares!

    • Responsabilidade
    • Cumprimos com o dever de assumir as consequências provenientes de nossos atos;
    • Ética
    • Atuamos em conformidade com as normas reguladoras legais, estatuárias e regimentais;
    • Integridade
    • Garantimos que a integridade ética permeie todas as nossas relações internas e externas;
    • Transparência
    • Atuamos de forma transparente, oferecendo uma comunicação franca, rápida e precisa; 
    • Equidade
    • Tratamos de forma justa e igualitária todos aqueles que se relacionam conosco; e
    • Prestação de contas
    • Apresentamos para parceiros e a sociedade informações claras sobre nossos investimentos e resultados.

Governança  participativa: a forma como mobilizamos poder público, iniciativa privada e sociedade civil

A partir de nossa tecnologia social, unimos forças no combate à pobreza e desigualdade, mobilizando poder público, iniciativa privada e sociedade civil para promover o desenvolvimento territorial sustentável em regiões de vulnerabilidades.

Essa governança participativa é fortalecida pelo nosso trabalho em parceria com organizações da sociedade civil dos locais onde atuamos. Juntos, assumimos um compromisso para que jovens e suas famílias possam viver no campo em harmonia com o meio ambiente.

A governança  participativa é um dos diferenciais de nossa atuação e é fundamentada nos princípios da ética, integridade e transparência. Ela ocorre por meio de um processo em permanente construção que visa desenvolver e consolidar a prática constante do diálogo e da articulação entre todos os atores sociais envolvidos. Assim, envolve diretamente as comunidades em seus diferentes modos de organização social e os poderes constituídos em diversos níveis. A ação conjunta entre o primeiro, o segundo e o terceiro setores permite a criação de um espaço colaborativo que reforça o compromisso da jornada para a sustentabilidade.

Critérios  de ESG – saiba mais!

Nós também buscamos promover maior alinhamento entre nossa atuação e as práticas empresariais e de investimento de ESG - Environmental, Social and Governance - de parceiros e investidores que utilizam esses critérios na tomada de decisões dos seus negócios. 

Derivada da língua inglesa, a sigla ESG está ligada a três conceitos importantes tanto no contexto do Terceiro Setor quanto no mundo empresarial: meio ambiente, área social e governança. Cunhado em 2004 em uma publicação do Pacto Global em parceria com o Banco Mundial, chamada Who Cares Wins, a expressão se refere às melhores posturas de empresas nesses três fatores, sendo ainda um critério relevante para o mercado financeiro e de investimentos. Os critérios de ESG também são aplicados no contexto do Terceiro Setor, guiando uma atuação ainda mais alinhada com os compromissos globais e às premissas dos investidores sociais.

2018 - 2021. Fundação Norberto Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital